AGRONEGÓCIO: UM BRASIL QUE NÃO PARA DE CRESCER.

Nossa terra é um dos maiores negócios do planeta. Hoje, o Brasil conta com todas as condições para ser o maior país agrícola do mundo em apenas dez anos. O agronegócio brasileiro é próspero e rentável. Os motivos para isso já começam na própria natureza do nosso chão: clima diversificado, chuvas regulares, energia solar abundante e quase 13% de toda a água doce existente.

O país possui nada menos de 388 milhões de hectares de terras agricultáveis férteis e com alta produtividade. Desta imensidão, quase 90 milhões ainda são inexplorados. No mundo, 22% das terras cultiváveis são brasileiras.  A tudo isso, se une o elevado uso de tecnologia no campo. Por estas razões, e muito mais, o agronegócio é a principal locomotiva da economia brasileira e significa um em cada três reais gerados no país.

E daqui para frente?

O futuro é cheio de possibilidades. Além de abundantes, nossas terras são planas e acessíveis, como no caso dos cerrados com uma reserva de 80 milhões de hectares. Pessoas também não faltam: dispomos de produtores rurais experientes com alto conhecimento e domínio de tecnologias agropecuárias.

O porte que o Brasil adquiriu no agronegócio é fantástico. E não para de evoluir. Para os próximos 10 anos, o Ministério da Agricultura projeta aumento de produtividade e crescimento de 27% na produção de grãos. E este é apenas um exemplo do potencial apresentado. 

Nos segmentos em que ainda há caminho a percorrer no comércio mundial, as evoluções devem ser maiores. Na suinocultura, as previsões dos especialistas é de que o Brasil deve quadruplicar sua participação, conquistando metade do mercado global e podendo alcançar a mesma importância para a nossa balança comercial do país, hoje representada pelo frango e a carne bovina.

Falando em números impressionantes, o agronegócio é o maior negócio mundial e brasileiro. No mundo, representa U$ 6,5 trilhões/ano e, no Brasil, cerca de R$ 350 bilhões, ou 26% do PIB. A maior parte disto refere-se a negócios além das porteiras, indo desde o suprimento de insumos, o beneficiamento/processamento das matérias-primas e a distribuição dos produtos.

Uma atividade econômica tão representativa também envolve riscos bem presentes. Por isso, o mercado de seguros traz soluções específicas. Como exemplo, a empresa REP Seguros oferece produtos especialmente desenhados para este público. Um exemplo são os Seguros Rural e Agrícola. Eles dão maior garantia para quem investe, vive e depende do campo. Inclui coberturas para o custeio, produção e produtividade, entre outros. A REP Seguros desenvolve apólices personalizadas para cada necessidade. Por exemplo, o Seguro Rural é focado em  agricultura e pecuária. Já o Seguro Agrícola é especializado em culturas permanentes e temporárias.

Ainda sobre a atuação da REP no agro, vale conferir as palavras de seu Diretor Comercial, Hugo Diebold Junior:


"Temos em nosso DNA o acompanhamento da dinâmica do cliente agro, desde os trabalhos da lavoura, passando pelos vários modelos de cooperativas até os grandes traders multinacionais. Entramos dentro das operações e das diferentes culturas organizacionais e, assim, obtemos uma sólida e duradoura relação através das melhores práticas de gestão de riscos e seguros." 


O agronegócio brasileiro é hoje um dos principais pilares que sustentam a economia do país. Há desafios, como a melhora da infraestrutura e o atendimento de novos nichos, como o de produtos orgânicos. Mas o histórico de evolução do setor comprova que há recursos humanos, expertise e tecnologia mais que suficientes para superar todos os desafios. Basta encará-los.

  • ACOMPANHE NOSSAS REDES